Ouros de Minas

Em apenas dois anos, a Área de Eventos do Shopping Vila Velha já é uma das mais respeitadas casas de shows da Grande Vitória e vem surpreendendo na agenda

Foto: Manuela Scarpa
Milton Nascimento no palco do DVD Acústico do Jota Quest gravado no último mês de maio em São Paulo

Em menos de trinta dias o palco administrado por Patrick Ribeiro Produções recebeu dois grandes nomes da música mineira: Milton Nascimento e Jota Quest. Curiosamente, no último mês de maio, Jota Quest recebeu Milton Nascimento para uma participação na gravação da música “O sol”, que faz parte do recém-lançado DVD “Jota Quest Acústico – Músicas para cantar junto”.

Em ambas as apresentações, a Rede Interferência marcou presença para acompanhar de perto todos os detalhes da passagem de Bituca (apelido de Milton) com sua aclamada MPB e dos proprietários do Estúdio Minério de Ferro, Jota Quest, com seu respeitado Pop Rock. Nomes com décadas de distância, que somente a música é capaz de transportar para uma mesma linguagem nos tempos atuais.

Milton Nascimento, há 50 anos, iniciou sua “Travessia” na música popular brasileira com álbum homônimo. Hoje, Bituca consuma as “bodas de ouro” da sua carreira. Desde 2015, Milton Nascimento tem levado para todo o Brasil e até mesmo o exterior, o show “Semente da Terra”, que ocorreu em Vila Velha na noite do último dia 21 de outubro. O nome da turnê se deu em 2010, quando o músico recebeu de 37 lideranças Guarani Kaiowá o nome sagrado de “Ava Nheyeyru Iyi Yvy Renhoi”, ou Semente da Terra. Desse modo, Nascimento proporciona um repertório com forte conotação política e social.

VÍDEO

Desde os tempos do Clube da Esquina, movimento musical que surgiu na década de 1960, fruto da forte amizade de Bituca com os irmãos Borges (Marilton, Márcio e Lô) e influência dos Beatles com elementos do Jazz e da Bossa Nova, Milton Nascimento prova que não curte andar sozinho “nos bailes da vida”. Assim, nessa turnê, suas apresentações ganham a companhia de gabaritados profissionais e, mais que isso, grandes amigos: Wilson Lopes (direção musical e cordas), Beto Lopes (sete cordas), Lincoln Cheib (bateria), Alexandre Ito (contrabaixo), Barbara Barcellos (vocal), Kiko Continentino (piano) e Widor Santiago (metais).

A forte conotação política percebida no show se reflete no seu fiel público de décadas. Logo após cantar um de seus principais hits, “Coração de Estudante”, composta em 1983 em parceria com Wagner Tiso e predileta do ex-presidente Tancredo Neves, Milton Nascimento realizou uma citação em espanhol do pensamento de Bertolt Brecht que fala sobre a importância de nunca se desistir da luta. Inevitavelmente, assim que finalizou, os admiradores do artista bradaram um forte “Fora Temer”, não questionado em nenhum momento por Milton que seguiu cantando “Sentinela” com Barbara Barcellos.

O show contou com “A terceira margem do rio”, “O cio da Terra”, “Caçador de mim”, “Clube da Esquina 2”, “Maria, Maria”, “Nada será como antes” dentre tantos outros sucessos que marcaram as atuais cinco décadas da carreira de Milton Nascimento, que não deixou de lembrar de suas amizades e parcerias como Gilberto Gil, Elis Regina, Caetano Veloso e seu fiel amigo Fernando Brant.

Foto:renattomanga.com

Milton Nascimento e banda no palco da área de eventos do Shopping Vila Velha

A turnê “Semente da Terra” caracteriza-se pela reflexão a respeito desse tempo de tanta violência moral, intolerância, preconceito, hipocrisia e corrupção. Tudo “desenhado” através de canções compostas em distintos momentos dos 72 anos de Milton Nascimento.

Além do público de longa data, Milton Nascimento chama atenção de quem ele certamente menos espera: a equipe da Rede Interferência presenciou um momento ímpar nas quase duas horas de show do carioca de coração mineiro. Beatriz Viera, de apenas 12 anos marcou presença acompanhada dos pais que, pasmem, foram convidados pela pequena para o show. Ao ser questionada a respeito do show, Beatriz surpreende: “Achei incrível o show do Milton! Vou sair daqui sabendo ainda mais sobre sua vida artística contada por ele durante o show, momentos até divertidos. Eu gosto muito das canções dele e amei estar aqui com meus pais. Foi uma experiência que jamais vou esquecer, foi única.

Já no dia 18 de novembro, vinte e oito dias após a apresentação de Milton Nascimento, a Área de Eventos do Shopping Vila Velha recebeu o lançamento capixaba da tour Acústica do Jota Quest.

VEJA+
Cantor sertanejo visita faculdade e revela música do novo CD
Nos dias 7 e 8, não percam a IV Mostra Científica dos Cursos de Comunicação da Estácio Vitória

VÍDEO

Diferente de Milton Nascimento na tour “Semente da Terra”, com palco intimista e de poucos detalhes, Jota Quest recheou de informações os 72 metros quadrados em forma de “L” do palco com exibição de fotos e imagens gráficas no telão de led de mesma proporção, estrutura que acompanha a banda na divulgação do projeto pelo Brasil.

Na apresentação em Vila Velha, Rogério Flausino (líder da banda) em diversos momentos honrou as parcerias e amigos da banda que completa 21 anos de estrada. Ao cantar “Morrer de Amor”, enfatizou a parceria com Alexandre Carlo (líder do Natiruts) e agradeceu o presente para o acústico. Na canção “O Sol”, que considerou ser o momento mais especial do show, relembrou a gravação do projeto quando recebeu Milton Nascimento no palco.  Para a Rede Interferência, momentos antes do show, Flausino ainda destacou: “Nosso carinho por Milton Nascimento é imenso, vai muito além da música. Um dos nossos maiores objetivos era sua participação no acústico”. E assim como no DVD, um instrumental de “Canção da América” finalizou a música.

Já na canção “Sempre Assim”, ocorreu um pequeno medley com “Emoções”, versão de “I wanna Be Around” feita por Erasmo e Roberto Carlos em 1981. Outra canção que o Jota Quest ganhou de presente no Acústico foi “Você Precisa de Alguém”, composta por Marcelo Falção (Líder do Rappa). Além de compor, o músico participou da gravação e foi devidamente mencionado na apresentação em terras capixabas. Em “De volta ao Planeta”, foi a vez de homenagear o “Maluco Beleza” – Raul Seixas – com o rock “Sociedade Alternativa”.

O show contou com vinte e três canções e pouco mais de duas horas. Além das devidas homenagens, o público foi presenteado com “Dias Melhores”, “Na moral”, “Um Dia Pra Não Esquecer”, “Dentro de um Abraço”, “Blecaute” dentre outras canções que marcaram a história do Jota Quest nas últimas duas décadas.

Foto: renattomanga.com

Rogério Flausino (líder do Jota Quest) cantando “Dentro de um Abraço”

Na grande maioria, o público do Jota Quest se resume aos jovens, porém quem se destacou em meio aos 7 mil e 300 presentes na Área de eventos do Shopping Vila Velha, foi a Sra. Gracinda de Azevedo de 88 anos que, emocionada, acompanhou todo o show e acrescentou à sua vasta coleção mais uma foto com Rogério e Marco Túlio, pois já viajou para diversos Estados a fim de presenciar os shows da banda.

A Rede Interferência questionou a “Vovó Quest” sobre o motivo de tamanha admiração e ela disparou: “Minha paixão pelo Jota Quest ocorreu no primeiro show que fui na formatura do meu sobrinho, em Belo Horizonte. Tenho um amor tão grande por eles – em especial pelo Marco Túlio -, nunca imaginei ter essa paixão por um artista assim na vida. Já tive a honra de estar com eles diversas vezes e sempre sou recebida com o mesmo carinho que só faz aumentar essa minha paixão. Todos os shows são lindos.

Em 2015, Gracinda escreveu um acróstico (veja abaixo) demonstrando sua admiração em especial pelo músico Marco Túlio Lara, que acabou ganhando espaço no Instagran do artista, o que prova que não há idade para desfrutar da boa música, assim como a pequena Beatriz com a obra de Bituca.

Foto: arquivo pessoal

Carta da Sra. Gracinda de Azevedo direcionada ao Guitarrista Marco Túlio e seus diversos encontros com a banda

 Por Renatto Manga

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here