A depressão, o comportamento de isolamento e a baixa perspectiva de projetos futuros, são as principais características das pessoas que tiraram a própria vida

Por Matheus Zardini

O mês de setembro iniciou com uma nova cor – a amarela, que tem como objetivo, alertar a população a respeito do suicídio. De acordo com os dados do sistema Datasus, no Brasil, em 2015, foram mais de 11 mil casos de suicídio, totalizando 30 por dia. No mesmo ano, no Espírito Santo, foram 189 ocorrências, sendo que a região do interior do estado se destaca se for comparada com a região metropolitana da Grande Vitória. No índice de suicídios por 100 mil habitantes, em 2015, as cidades que tiveram as maiores taxas no estado foram Atílio Vivacqua (26,84), Iconha (21,76), Ibiraçu (16,18), Nova Venécia (15,91) e Rio Bananal (15,54).

De acordo com as estatísticas, o perfil das pessoas que cometeram suicídio é parecido, com traços de depressão, comportamento de isolamento e baixa perspectiva de projetos futuros. “Eu tenho observado o aumento da ocorrência de depressão entre os jovens acima de 15 anos, tanto que o maior índice de pessoas que cometem suicídios está na faixa etária de 15 a 29 anos”, disse o psicólogo Gerson Abarca. Ele ainda afirmou que “trata-se de uma geração que vem da dependência do smartphone, que leva ao isolamento social, falta de ação prática e baixo desejo de aproveitar os prazeres que a vida oferece”, disse.

Após o rompimento de um casamento de mais de 20 anos, e por conta do desemprego, uma empregada doméstica, de 49 anos, que preferiu não se identificar, cogitou cometer suícidio como escapatória. Mas, antes de decidir, pensou nos seus filhos e preferiu fazer um tratamento psiquiátrico. “Eu não estava conseguindo dormir, tinha crise de depressão e vontade de cometer suicído. Então, conversei com um psicólogo que receitou uma medicação para eu tomar”, contou a empregada doméstica, que complementou dizendo que se sentiu bem melhor após a medicação.

No ano de 2015, em âmbito nacional, os estados que registraram as maiores quantidades de suicídios por 100 mil habitantes foram Roraima (10,28), Rio Grande do Sul (10,12) e Santa Catarina (9,31). O Espírito Santo se encontra em 19º lugar com o índice 4,81, com o interior do estado tendo o maior volume de suicídios se comparado com a Grande Vitória.

Interior

Nos municípios do interior, os principais fatores que contribuem para o maior índice de suicídios é o consumo excessivo de álcool e de outras drogas, além da pouca oferta de serviços de saúde mental. “São, assim, dois fatores que se juntam: a doença mental (originária de depressão), e o serviço de saúde superlotado por conta do alto consumo de álcool e drogas, como a maconha”, informou o psiquiatra da Unimed Vitória Vicente Ramatis. “A baixa perspectiva de trabalho e crescimento profissional é outro fator que desmotiva as pessoas”, disse Ramatis.

Setembro Amarelo

Diferente dos outros meses coloridos, como o Outubro Rosa e o Novembro Azul, o Setembro Amarelo é mais recente. Ele foi criado no Brasil em 2015 pelo CVV (Centro de Valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina) e pela ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria) com o tema “Falar é a melhor solução”.

Foram feitas ações de ruas como caminhadas, passeios ciclísticos e de motos e abordagens em locais públicos em várias cidades do Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here