José Antonio Martinuzzo, doutor em comunicação, revelou que o jornalismo profissional está tendo uma nova oportunidade de prestar um grande serviço à sociedade, tal como aconteceu quando, no final do século XIX, “surgiu como uma conquista civilizatória da humanidade”: a de separar “o joio do trigo” e contrapor a informação bem apurada às fake news (notícias falsas) divulgadas nas redes sociais. Para ele, a forma mais eficaz de combater as fake news é fazer com que as pessoas “deixem de agir por impulso e de compartilhar informações sem checar a sua veracidade”. Para saber se a informação é verídica, as pessoas devem recorrer ao jornalismo profissional que, através da apuração bem feita, garante credibilidade à notícia que divulga.

Martinuzzo fez tais considerações durante o Talk Show CBN Vitória que debateu, no último dia 20, no auditório da rede Gazeta, as fake news, tema que tem motivado uma grande polêmica em razão da proximidade das eleições. Participaram do debate o jornalista Ricardo Gandour, diretor de jornalismo da Rede CBN, Sérgio Denícoli, doutor na área de investigação digital e novas mídias, José Antonio Martinuzzo, doutor em comunicação e pós-doutor em mídia e cotidiano e Gilberto Sudré, comentarista de tecnologia da CBN Vitória. O debate foi mediado pela jornalista Fernanda Queiroz, âncora da Rádio CBN Vitória. O evento contou com a presença de um grupo de alunos dos cursos de Jornalismo da Estácio Vitória.

Os debatedores revelaram que tramitam no Congresso Nacional 14 projetos prevendo punições para a divulgação e compartilhamento de fake news. O Tribunal Superior Eleitoral tem dedicado grande atenção ao tema já que pretende fiscalizar a publicação de fake news que tentam influenciar o voto dos eleitores. Um dos debatedores revelou que coordenou pesquisa que constatou que 17% de postagens nas redes sociais tentam influenciar o voto do eleitor e grande parte dessas mensagens é postada por robôs. Estudo da Fundação Getúlio Vargas apontou que, desde as eleições de 2014, perfis automatizados motivam debates no Twitter sobre temas de repercussão na sociedade brasileira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here